Histórico das Casas de Cultura Estrangeira

Fachada Coordenação Geral

Fachada Coordenação Geral

As atuais Casas de Cultura Estrangeira (05/CONSUNI, 27/0881) são continuadoras dos antigos Centros de Cultura Estrangeira, inaugurados na década de 60, pelo Prof. Pe. Francisco Batista Luz, quando o mesmo era Diretor da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da UFC. Criados oficialmente por decisão do Conselho Universitário, os antigos Centros de Cultura Estrangeira estão hoje sob responsabilidade da Coordenadoria Geral das Casas de Cultura Estrangeira (09/CONSUNI de 29/10/93), da direção do Centro de Humanidades e da Pró-Reitoria de Extensão. Seis unidades foram inauguradas ao longo de sete anos. Foram elas em ordem cronológica assim inauguradas: Casa de Cultura Hispânica (1961), Alemã (1962), Italiana (1963), Britânica (1964), Portuguesa (1964) e Francesa (1968). Mais tarde foram criados os Cursos de Esperanto (1965) e Russo (1987), este último, atualmente, se encontra com suas atividades paralisadas.

As Casas de Cultura Estrangeira, em consonância com a missão da Universidade Federal do Ceará, têm promovido a difusão de conhecimentos e a divulgação dos valores artísticos e culturais, bem como a internacionalização da instituição. O trabalho desenvolvido pelas Casas de Cultura Estrangeira, como um projeto de extensão vinculado à Pró-Reitoria de Extensão, desenvolve ações junto à comunidade sob a forma de programas, projetos, cursos e eventos.

É incontestável a importância dos serviços prestados à comunidade cearense por essas casas de cultura. Elas têm contribuído para a formação de milhares de pessoas em línguas estrangeiras através de seus cursos, palestras, seminários, oficinas, entre outras atividades acadêmicas. Além disso, as Casas de Cultura têm sido responsáveis pela elaboração e aplicação de exames de proficiência para os candidatos das seleções para os cursos de pós-graduação tanto em nível local como também nacional. As casas de cultura também servem tanto de campo de estágio para os alunos do curso de graduação em letras como campo de pesquisa para alunos dos mais diferentes cursos de graduação e pós-graduação.

No âmbito nacional, o contato com embaixadas, órgãos de cultura estrangeira, associações de professores de línguas estrangeiras, bem como ministérios e consulados, tem viabilizado uma permanente difusão dos valores culturais, dos países por elas representados e também tem viabilizado muitos estágios e cursos de aperfeiçoamento para os professores das diferentes casas de cultura e para os alunos do curso de letras das universidades públicas do nosso estado. O fruto desses estágios estende-se sempre à comunidade local.

Atualmente, as Casas de Cultura Estrangeira conta com 49 (quarenta e nove) docentes efetivos do Quadro do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, 01 (um) professor visitante, 01 (um) professor assistente em língua alemã, ambos estrangeiros, 03 (três) professores substitutos e 18 servidores técnico-administrativos.